Buscar
  • Maria Helena Rodrigues

GESTÃO EMPÁTICA

Eis uma administração que pode tirar frutos positivos em suas relações profissionais, pois consegue se colocar no lugar do outro, considerando seus sentimentos e perspectivas antes de executar um plano de ação.

É possível, uma pessoa empática em sua essência, fazer uma leitura intuitiva do outro, se antecipar às suas necessidades, encontrar as palavras certas e o momento ideal para confortar, auxiliar os colaboradores a darem voz emocional em suas vidas. São gestores confiáveis que escutam, compreendem e percebem pequenas nuances de tristeza ou alegria nos membros do grupo.

Estou em um estágio de treinamento conectado justamente em reconhecer, identificar e desenvolver as habilidades do Vinicius*, um profissional liberal, que gerencia cursos em várias companhias brasileiras.

Ele trouxe a empatia, como uma grande questão a ser resolvida, já que se sentia, devastado emocionalmente no final de semana de curso em imersão de gestão de pessoas. A simplicidade em utilizar seu talento de forma que não seja prejudicado é reconhecer o quanto seu comportamento está na fase sombra, querendo, inclusive, resolver o problema do outro.

O empático sofre pelo outro quando, até mesmo, este já passou para uma fase melhor. Já aconteceu isso com você, caro leitor? Caso sua resposta seja um redondo sim, tenha certeza de que você possui o talento de Empatia em sua veia emocional.

Nessa fase covid-19, é manteiga em focinho do cachorro como se fala no Rio Grande do Sul, pois a pessoa que leva essa essência no coração, tem valor enorme em captar as necessidades dos outros e auxiliar em seus problemas.



0 visualização0 comentário